A MELHOR TELEVISÃO

DO MUNDO

Meus tempos de Globo
na Europa

autor:

José Roberto Filippelli

colaboração:

Mary Lou Paris

Apresentação:

Mario Prata

Orelha:

Antônio Torres

Contracapa:

Dácio Nitrini

Capa e projeto gráfico:

Nick Bartolucci

acabamento:

brochura

páginas:

212

formato:

16 x 23 cm

ISBN brochura:

978-65-87618-11-1

ISBN capa dura:

978-65-87618-12-8

José Roberto Filippelli morava em Roma quando foi contratado pela Globo, em 1976, para pesquisar o mercado europeu e estabelecer uma estratégia para a distribuição internacional dos programas da emissora nesse mercado milionário.

Em poucos anos, além do seu escritório, abriu uma sucursal em Paris e nomeou dez representantes de vendas não só para os países europeus como também para o Sudeste Asiático, o Oriente Médio e a África, por onde espalhou e ajudou a criar uma febre em torno das telenovelas globais. A tarefa não foi fácil e também incluiu tropeços e algumas derrotas.

Neste livro, Filippelli fala, a partir da sua memória, sobre a televisão que encontrou na Europa, onde o gênero novela ainda não era conhecido, e suas transformações ao longo do tempo. Ele também fala sobre as mudanças no mercado televisivo no Leste Europeu como consequências da queda do muro de Berlim; a evolução tecnológica que fascina o telespectador; o antiquíssimo palácio romano de uma princesa transformado em escritório da Globo na Itália; a importância do sucesso de programas televisivos como apoio à diplomacia brasileira; os riscos em uma visita de trabalho à televisão de Angola em plena guerra civil; a rejeição da televisão sueca ao programa Plantão de Polícia porque as cenas nas cadeias brasileiras eram chocantes demais para seus telespectadores – e conta muitas outras histórias.

 

 

Trecho da orelha do livro, por Antônio Torres, escritor
e membro da Academia Brasileira de Letras:

 “Do jeito que o país vai, entre uma pandemia e o pandemônio, não deixa de ser relaxante ler a história cheia de histórias que Filippelli retirou do seu baú de memórias para nos fazer viajar com ele, e com ele – às vezes em família – conhecer cidades, países, regimes políticos, culturas às mais variadas e pessoas, seguindo o seu dom natural de fazer amigos, e são muitos os aqui lembrados.”

 

Trecho da contracapa do livro, por Dácio Nitrini, jornalista e escritor:

 “A melhor televisão do mundo mantém você ligado todo o tempo. O livro ultrapassa de longe a história pessoal de José Roberto Filippelli, um bandeirante humanista que desbravou com elegância e glamour o aguerrido mundo dos negócios da televisão internacional. Ao transformar em crônica sua jornada de 23 anos como diretor de vendas internacionais da TV Globo na Europa, Ásia, África e Oceania, Filippelli transcende o renomado publicitário brasileiro que é e se revela jornalista de olhar profundo, concretizando um sonho da adolescência confessado de coração aberto: aos 17 anos, sua primeira tentativa de emprego, frustrada, foi trabalhar em jornal.”

 

Trecho da apresentação do livro, por Mario Prata, escritor e dramaturgo:

 “A ideia do livro é a mais simples do mundo (do mundo, como o título dele): é ele, às vezes só, às vezes com a família, saracoteando pela Europa, Ásia, África e o resto do mundo com latas de fitas de novelas debaixo do braço como um vendedor ambulante. As peripécias, as personagens envolvidas, BBC, RAI, China Films, televisões, políticos. Suas três filhas crescendo de viagem em viagem, assim como sua conta bancária. Dizem até que chegou a morar num castelo na Villa Borghese, em Roma. Dizem.”


Sobre o autor:

Em 1976, José Roberto Filippelli vendeu sua agência de publicidade e partiu para um ano sabático na Europa com a família. Quando estava contando o dinheiro para ver quanto tempo mais poderia ficar, foi contratado pela Globo para, como primeira tarefa, pesquisar o mercado europeu e estudar um plano para iniciar a distribuição internacional da TV Globo na Europa. Até então, a Globo só havia feito algumas vendas internacionais de novelas, como O Bem- Amado, para a América Latina, e Gabriela, para Portugal.

 

Seu ano sabático se transformou em 24 anos, dos quais 23 trabalhando na Globo e levando os programas da emissora para muitas dezenas de países. Nesse tempo, contou fortemente com sua experiência no planejamento de publicidade e marketing para estabelecer uma estratégia de ação.

José Roberto Filippelli reúne em livro sua história sobre a internacionalização dos programas da TV Globo de 1976 a 1999...